quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Como é bom ser criança!


Hoje é o dia das crianças no Brasil, quando contei isso ao meu marido que é frances, ele sorriu, sorrimos juntos, como se dia de criança não fosse todos os dias :)

Mesmo assim, impossivel nao recordar hoje quantos dias de criança vivi. Lembro-me especialmente de um momento da minha infãncia.Já havíamos morado no Rio,Petrópolis, Volta Redonda e agora morávamos em Juiz de Fora.
Naquele dia, enchíamos o carro de alegria e expectativa, nossa familia, meu pai, minha mãe e minhas duas irmãs,serpenteavamos pelas colinas verdes ansiosos e cada esquina e cada casa nõs perguntávamos, é essa? é essa?
as vezes as cantilena mudava,já chegou? já chegou? e nossos olhos curiosos iam descobrindo as belas terras verdes com casarões que para nossos olhos infantis mais pareciam castelos, alguns tinham até torres!

Éramos crianças urbanas criadas em apartamentos ou casas sem quintal, e aquela mata diante de nós despertava sentimentos que nem precisavam tradução. Estavamos com certeza entrando no cenário das nossas estorinhas infantis, contadas no pé da cama pela minha mãe. Cada casa, cada chaminé depois da curva confirmava essa suspeita.

Quando chegamos diante da casa nossa alegria era desproporcional ao que víamos. A casa era simples, grande, com um imenso quintal, a cerca havia perdido o equilibrio.e a arvore de flor de maio bem em frente da varanda se tornaria uma boa amiga.

Mal podíamos acreditar, aquela enorme casa cor de rosa seria a nossa casa! Eu nunca havia visto uma casa de 12 cômodos, tinha até uma despensa, corríamos pela casa entrando e saindo dos comodos vazios, mas o grande quintal meio abandonado era o nosso maior premio, ele nos encantava mais dos que as lojas da cidade, do que os cinemas e teatros e todas esses lugares que para dizer a verdade não frenquentavamos muito.

Ali no bairro da Grama viveríamos algumas aventuras inesquecíveis. Como ter um galinheiro com galinhas que se tornaram tão queridas que chorávamos cada vez que minha mãe escolhia uma para o almoço. Nosso primeiro gato que corria atras das galinhas da vizinha e acabou pagando com a vida pelas suas traquinagens. O pomar que meu pai plantou e acompanhamos encantados o crescimento de cada árvore. A pequena torre que meu pai mandou construir para a caixa d´agua não tinha o charme das torres dos vizinhos encastelados, mas me servia de refúgio quando eu queria ler fotonovelas escondida :)

Ah como era bom esse tempo irresponsável e feliz, lembro-me do sininho da minha mãe nos chamando para o almoço, do relõgio cuco que cantava a cada hora. Da minha mãe tocando piano na sala de música, do meu pai chegando de viagem com muitas e histórias e presentes de cada lugar. Dos cultos domésticos como nós os chamavamos quando minha mãe lia um livro amado que se chamava ´Horinhas com Deus´ e de quando ela ou meu pai se assentavam em cada cama para orar conosco e cantávamos antes de dormir:

Finda-se esse dia que meu Pai me deu
Sombras vespertinas cobrem jã o céu
Sou teu pequenino, livra-me do mal
Eu não temo a noite, vou dormir em paz

e terminavamos a noite recitando a Biblia:
Em paz também me deitarei e dormirei porque só Tu
Senhor me fazes habitar em segurançca.

E caíamos cansadas para acordar para mais um dia de aventuras e descobertas!

¯`•.¸¸.>

4 comentários:

Anne-Marie disse...

trop attendrissant ... oui le monde de l'enfance est super ... d'autant plus super si on est aimé ..peut-être je me trompe mais à la campagne, il est plus magique a cause de la liberté de mouvement...qui te permets d’être un explorateur en puissance ...
gros bisous

Dalva disse...

Que delícia são essas recordações... Partilho contigo o quintal e as galinhas :)
Mas, afinal... como morreu o gatinho???

Bjs

Roseli disse...

Oi Mirian,
Bom te ter de volta contando histórias de sua infância que foram tão comuns em nossas gerações. Trago comigo também boas e gostosas lembranças. Fiquei feliz em receber uma mensagem sua depois de tanto tempo e saber que está bem. Uma ótima semana pra você e sua família e não volte a sumir de novo.
Bjs

Sandra disse...

Oi amiga,
Saudades.
Vim deixar um cheiro de perfume para ti... A essencia vc escolhi.

Também aproveito para me desculpar pela ausencia. Nosso tempo de vida real é muito curto e temos muito para realizar.
mas sei que moras em meu coração, e não te esqueço. Sempre que posso eu venho agradecer e te visitar. Sei que não tem mai a mesma frequencia que antes. Mas o importante que essa visita seja de qualidade e cheia de carinho e afeto. Por isso estou aqui. Para lhe dizer qu és O MEU BOTÃO DE ROSAS. CADA VEZ QUE CHEGA NA CURIOSA OU DEMAIS BLOG MEUS, UM NOVO BOTÃO DE ROSAS SE ABRE..

E isso me deixo muito feliz. Obrigada por ser meu seguidor(a).
É maravilhoso ter a sua presença no blog.
Cada vez que venho é de coração cheio de emoção, por te encontrar por lá. Muitas vezes respondo no próprio blog, pois sem tempo de visitar sou obrigada fazer assim. Mas fico feliz com a sua visita. A Telinha nunca afasta, mas sim, aproxima CORAÇÕES que são verdadeiros.
Nossa AMIZADE É ASSIM. Cheia de ternura e fidelidade.
Obrigada..Até mais..
Assim que puder voltarei.
Bjs no seu coração e um forte abraço na Alma....
Carinhosamente...
Sandra