segunda-feira, 17 de maio de 2010

Mia Couto



Foi na janela da Mariana que conheci Mia Couto, e me encantei, quem não se encantaria, com essa prosa, com essa poesia? Esse moçambicano de origem portuguesa escreve com o vigor e a graça proprias do português de Moçambique. Autor e poeta premiadissimo, deixa seus ecos geniais chegarem até nós.


“… O que me inveja não são esses jovens, esses fintabolistas, todos cheios de vigor. O que eu invejo, doutor, é quando o jogador cai no chão e se enrola e rebola a exibir bem alto as suas queixas. A dor dele faz parar o mundo. Um mundo cheio de dores verdadeiras pára perante a dor falsa de um futebolista. As minhas mágoas que são tantas e tão verdadeiras e nenhum árbitro manda parar a vida para me atender, reboladinho que estou por dentro, rasteirado que fui pelos outros. Se a vida fosse um relvado, quantos pênaltis eu já tinha marcado contra o destino? …”
(O Fio das Missangas - Mia Couto)


Solidão

Aproximo-me da noite
o silêncio abre os seus panos escuros
e as coisas escorrem
por óleo frio e espesso

Esta deveria ser a hora
em que me recolheria
como um poente
no bater do teu peito
mas a solidão
entra pelos meus vidros
e nas suas enlutadas mãos
solto o meu delírio

É então que surges
com teus passos de menina
os teus sonhos arrumados
como duas tranças nas tuas costas
guiando-me por corredores infinitos
e regressando aos espelhos
onde a vida te encarou

Mas os ruídos da noite
trazem a sua esponja silenciosa
e sem luz e sem tinta
o meu sonho resigna

Longe
os homens afundam-se
com o caju que fermenta
e a onda da madrugada
demora-se de encontro
às rochas do tempo

Mia Couto em "Raiz de Orvalho e Outros Poemas"


POEMA DA DESPEDIDA


Não saberei nunca
dizer adeus

Afinal,
só os mortos sabem morrer

Resta ainda tudo,
só nós não podemos ser

Talvez o amor,
neste tempo,
seja ainda cedo

Não é este sossego
que eu queria,
este exílio de tudo,
esta solidão de todos

Agora
não resta de mim
o que seja meu
e quando tento
o magro invento de um sonho
todo o inferno me vem à boca

Nenhuma palavra
alcança o mundo, eu sei
Ainda assim,
escrevo.


¯`•.¸¸.>

18 comentários:

Anônimo disse...

ja li seu blog quase todo e fiquei com vontade de fazer um tambem, tinha uma ideia errada de blog, que fosse diario de adolescente sabe? gostei de conhecer esse poeta, é lindo.....bjs leslie

Wania disse...

Mírian querida!


Eu ADORO Mia Couto. Fui apresentada a este autor há bem pouco tempo, através de um amigo e desde então, não parei mais de ler coisas dele....por sinal cada texto mais lindo que o outro!

Suas palavras sempre me tocam de um jeito muito profundo, além de apreciar demais a maneiora com escreve.

Obrigada pela partilha!

Bjs


PS: fiquei muito chateada em saber que teu comentário lá no post da formiguinha não apareceu... nunca deixo nada pendente, acho que, infelizmente, se perdeu no caminho, mas mesmo assim sei de todas as boas energias que me desejaste, pois já te conheço, minha amiga! Agradeço do fundo do coração tuas palavras que não chegaram escritas, mas chegaram direto no meu coração! Até breve!

Caroline disse...

Mirian
ta poésie passe les continents et les cultures ...je ne comprend pas au mot à mot le poète, mais mon âme comprend ....sa mélodie
Bisous de Caro

Mírian Mondon disse...

Wania querida,
Voce não existe, e nem imagina (ou talvez imagine sim =) como estou feliz por voce! Vibrando!!!
obrigada por seu carinho que realmente me toca.
beijos

Mírian Mondon disse...

Caro!!!!
Esse Mia Couto tem algo a mais mesmo, pois te inspirou a deixar um recado aqui =)
Tenho certeza de que voce compreende a música o ritmo e o espirito do poeta, tenho certeza!

bisous

Mírian Mondon disse...

Leslie,
Voce é a Leslie Campos? ou a Leslie Umpierre? ou outra Leslie =)
Acho que vale a pena fazer um blog pela partilha, pela descoberta de pessoas interessantes e algo que pelo menos no meu caso me motiva é criar uma especie de dossier onde voce mais tarde pode rever artigos e fotos que gostaria de ter guardado. Mas existem outros motivos tambem, descubra o seu e vá em frente. Boa sorte!

Manifesto Interno disse...

Fiquei com a impressão de receber influência desse poeta em meus escritos, mais pelo tipo de construção e alinhamento de palavras,
o detalhe é que eu não o conhecia até agora,
vou procurar mais sobre ele,
gostei muito!!

excelente post!
Bjs!
.~'~.

Mírian Mondon disse...

Oi Ester amores,
É eu sabia que voce ia gostar e se identificar. Tambem sabia que não conhecia, eu o descobri faz pouco e sobretudo os versos que escolhi me fizeram imediatamente pensar em voce, claro =)

beijos

Sonhos & melodias disse...

Oi Mirian,
Bom aparecer por aqui e ser saudada com poemas de Mia Couto. Tive o prazer de receber esse autor aqui no colégio onde trabalho. E tive a constatação de não somente seus escritos serem maravilhosos mas também, sua pessoa. Humilde, inteligente, cortez, enfim, um cavalheiro! Já escrevi uma vez sobre ele.Não canso de ler suas obras.
Bjs

Mírian Mondon disse...

Oi Roseli, que bom te 'rever' =)
Uau que interessante saber que voce o conheceu! Muito especial isso... Realmente ele é um sopro de ar fresco numa paisagem cansada!
Bjs

Daniel Savio disse...

Poesias bonitas, mas achei certo sarcasmo na que fala sobre futebol...

Pois realmente é isto, paramos para ver a suposta dor de alguém que ganha milhões (mesmo que seja uma pequena minoria de esportistas) e quando esquecemos que temos de olha tanto ao redor.

Fique com Deus, menina Mírian Mondon.
Um abraço.

Beth/Lilás disse...

Oi, Miriam!
Realmente este lindo moço faz poesias e escreve bem demais.
Estou interessada em ler dele:
Um rio chamado Tempo e Uma casa chamada Terra.
Você já leu?
beijinhos cariocas

Mírian Mondon disse...

Menino Daniel Savio,
Voce tem razão, ele esta indignado, não com o futebol em si, mas com a ironia da inversão de valores.
As vezes a gente se importa mais com 'artistas' do que com quem está perto de nós.

abraços

Mírian Mondon disse...

Oi Beth tudo bem?
Não li 'Um rio chamado tempo...' mas quero ler, alias cada título dele é um convite, todos são fascinantes! Nunca vi um autor dar títulos tão interessantes em todas as obras!

beijos paulistanos =)

Zélia Guardiano disse...

Mírian

Gosto muito de Mia Couto. Quem mo apresentou foi minha amiga Tamar. Fiquei logo encantada!
O texto sobre futebol, para mim, é extraordinário, pois considero lamentável a inversão de valores caracterizada pelo endeusamento do jogador de futebol... Gostaria de ver comemoração e homenagem, não só quando alguém faz mil gols, mas também quando um professor alfabetiza mil crianças, quando um médico faz mil partos, quando um dentista alivia a dor de mil pessoas, etc. Não seria bonito?
Bem, desviei do foco principal: linda postagem a sua! Muito interessante Mirian! Dá gosto vir aqui!!!
Beijos, querida

Mírian Mondon disse...

Zélia querida,
Só agora vi seu comentário aqui, mas felizmente vi porque ele vale a pena!
Voce tem razão, mil alunos alfabetizados deviamos comemorar!

beijos

« Katyuscia Carvalho » disse...

O Mia Couto é dos meus preferidos!
Leitura que sempre alimenta o gosto do dizer em português(es).

Parabéns pelo espaço tão rico.

Um beijo.
.
.
.
Katyuscia

Mírian Mondon disse...

Obrigada Katyuscia! Pela visita e pelo gentil comentário!

Abraços e volte sempre,